pub

O presidente executivo da TAP foi ouvido, esta terça-feira, no Parlamento, e garantiu que o plano de reestruturação da empresa é viável e realista:

Ramiro Sequeira referiu que redução salarial na companhia portuguesa vai ter de se manter depois de 2025:

Ramiro Sequeira sublinhou que depois dos acordos com os sindicatos passou a haver apenas 800 funcionários excedentários na empresa, em vez dos 2 mil considerados antes das negociações.

O presidente executivo da TAP lembrou ainda que, em Fevereiro, a TAP teve uma quebra de 93% na sua operação e que a perspetiva para março é semelhante.

pub