pub

O Governo prolongou a situação de calamidade, em Portugal continental, até 27 de junho, no âmbito do combate à pandemia da covid-19, anunciou, esta quarta-feira, a ministra de Estado e da Presidência.

No final do Conselho de Ministros, Mariana Vieira da Silva adiantou que a maior parte do território nacional está com a situação epidemiológica controlada. Contudo, há quatro concelhos que não irão avançar no processo de desconfinamento:

Apesar de nenhum concelho recuar no desconfinamento, há dez que estão em alerta:

Para estes e todos os restantes, à exceção dos quatro que não vão avançar, as regras são as seguintes, a partir da próxima semana:

Mariana Vieira da Silva adiantou ainda que será obrigatório realizar testes em empresas e no acesso a vários eventos:

O custo destes testes será suportado pelas entidades organizadoras dos eventos. Questionado pelos jornalistas, no Funchal, onde preside às comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades, o Presidente da República referiu que é preciso equilibrio e prudência na mensagem a passar aos cidadãos:

Por sua vez, o primeiro-ministro pede mais um esforço, acrescentando que todos os concelhos são tratados de igual forma, referindo-se a Lisboa que, como ouvimos, não avança no desconfinamento:

Instados a comentar a aprovação do certificado digital covid-19, ambos os governantes aplaudem a decisão do Parlamento Europeu.

António Costa considera mesmo que este documento se deve estender a países fora da União Europeia:

Marcelo Rebelo de Sousa é de opinião que, quanto mais países aderirem, melhor:

Em Portugal, o período experimental arranca já na próxima semana. O certificado digital entra em vigor dia 1 de julho.

pub