pub

O apoio criado pelo Governo para ajudar os inquilinos com quebras de rendimentos devido à pandemia a pagar as rendas chegou apenas a 30% das famílias que se candidataram.

O Governo diz que as principais razões para a rejeição de mais de 1.300 pedidos são inconformidades com os comprovativos de contrato e da quebra de rendimentos.

Em declarações à SIC Notícias, o presidente da Associação dos Inquilinos Lisbonenses, Romão Lavadinho, diz não perceber a elevada percentagem de rejeições de pedidos:

O apoio para o pagamento das rendas está em vigor desde abril do ano passado e está em vigor até 1 de julho. Trata-se de empréstimos sem juros, que, no total, rondam os 2 milhões de euros.

O Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana recebeu 3.309 pedidos, que dizem respeito a mais de 2.500 famílias. Destas, apenas 769 receberam apoio do Governo, ou seja apenas 30% dos pedidos foram aceites.

pub