pub

Jorge Coelho, ex-ministro e dirigente socialista, morreu esta quarta-feira, aos 66 anos, numa habitação na Figueira da Foz, Coimbra, na sequência de doença súbita.

Ministro em dois governos de António Guterres, Jorge Coelho ficou definitivamente associado à queda da ponte de Entre-os-Rios, que o levou a pedir a demissão, alegando que a culpa não podia morrer solteira.

As reações à morte de Jorge Coelho surgiram de todos os quadrantes políticos, desde logo do Partido Socialista. O primeiro-ministro não escondeu a emoção ao falar de um amigo e do homem que ajudou a reerguer o PS:

O secretário-geral das Nações Unidas e antigo primeiro-ministro, António Guterres, em cujos Governos Jorge Coelho foi ministro, também recorda o amigo e um político íntegro:

António Lobo Xavier, do CDS/PP, parceiro de Jorge Coelho no programa “Quadratura do Círculo”, também deixa uma palavra ao antigo colega da televisão:

O líder do PSD, Rui Rio, recorda, sobretudo, o homem:

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, destaca o percurso político e pessoal de Jorge Coelho:

Algumas das reações à morte de Jorge Coelho. O antigo ministro e atual empresário faleceu esta quarta-feira, na Figueira da Foz, vítima de ataque cardíaco.

pub